Confira os principais itens para a revisão de sua moto!

Óleo

Esse é um item que não devemos aguardar as revisões programadas. É necessário verificar o nível de óleo periodicamente, o recomendo é a realizar a troca a cada 6 mil km.

Atenção: cada marca de óleo tem sua própria data de validade, podendo alterar de uma marca para outra, assim como cada modelo de moto tem um prazo de validade determinado pelo fabricante.

Água

Este é outro item que não é necessário aguardar as revisões programas. O recomendado é que a água sempre esteja nos níveis indicados pelo fabricante de cada moto.

Portanto, é necessário sempre verificar o nível. Como não é o que acontece usualmente, este se torna um item de atenção na revisão. O indicado é que o reservatório esteja sempre completo e o líquido seja totalmente trocado a cada dois meses de uso.

Kit de relação

Se esse kit falhar, todo o funcionamento do veículo é comprometido. O kit é composto pela corrente, cora e pinhão e é responsável por transmitir a força do motor da moto para a roda traseira.

A principal característica a ser observada é se a corrente não está solta ou folgada.

Bateria

Normalmente a bateria tem durabilidade de dois anos, mas alguns fatores podem fazer com que sua vida útil seja diminuída.

Por isso é importante sempre checá-la na revisão. Talvez ela não precise ser substituída, mas apenas recarregada.

Freio

Na revisão, um dos itens mais importantes não pode ficar de fora né?! É necessário atentar-se aos desgastes dos freio e a lubrificação de seus cabos.

Algo que pode ser evitado para conservar a vida útil da peça, são as freadas bruscas e desnecessárias, que acabam por causar um maior desgaste dos componentes.

Pneus

Item que deve ter um cuidado periódico é esse! É necessário verificar os pneus diariamente para se assegurar de que não estão possuem nenhum tipo de alteração, como furos e rasgos, já que este é um item que compromete a segurança do piloto.

Além disso, é necessário realizar a calibragem dos pneus semanalmente, o que proporcionará uma melhor dirigibilidade. Manter esse costume também pode aumentar a vida útil do item.

Dicas para deixar o carro cheiroso

O que causa mau cheiro no carro?

Com o passar do tempo, o fedor começa a aparecer.

Esse odor pode ser causado por vários motivos, alguns deles são:

Mofo e umidade

Se ao ligar o ar-condicionado você sente cheiro de mofo, pode significar que o sistema foi tomado por bolor.

Geralmente os resíduos de bolor se encontram no evaporador do ar-condicionado, que quando ligado, libera o fedor.

Lembrando que o mofo é nocivo à saúde, podendo causar alergias e problemas respiratórios, portanto, é bom cuidar desse problema.

Uma dica é ligar o ventilador do carro com o ar desligado, isso permite que o vento seque o compartimento.

Esse odor também pode ser causado por entupimento no tubo de drenagem, tapetes, bancos, entre outros.

Cheiro de queimado

Se ao dirigir você sente cheiro de queimado, pode significar que o óleo do carro está vazando em alguma parte aquecida do veículo.

Também pode ser os pedais da embreagem e freio, portanto, pise leve para que não aconteça um contato pesado no revestimento das peças.

Elétrico

Sentir cheiro de fio queimado é algo sério, algum componente elétrico ou isolamento pode estar danificado.

Caso sinta esse cheiro, é importante que leve a um mecânico para averiguar, pois, odores dessa natureza costumam ser fontes de incêndio.

É importante prestar atenção nos odores, para que as medidas corretas sejam tomadas.

Mas, como citamos algumas causas, é momento de falar de fato como deixamos nosso carro com cheiro bom.

Existem várias formas para deixar o carro perfumado, portanto, aqui vai algumas dicas para você o seu carro ficar cheiroso gastando pouco!

Aromatizadores

Uma ótima opção é aromatizadores, com eles você pode escolher o perfume de sua preferência e decidir se o cheiro é mais forte ou fraco.

É importante verificar se este cheiro te afeta de alguma forma, pois o aroma pode causar reações alérgicas, tosse ou espirros para pessoas sensíveis.

Para que isso não aconteça, opte por odores suaves ou use pouco.

Borrife perfume no interior do carro

Poxa, não encontrou nenhum aromatizador que te agrade? Relaxa!
Você pode borrifar um pouco do seu perfume preferido dentro do carro, portanto, espirre ele no ar, sem ter contato direto com a superfície do carro.

Lenços umedecidos

Coloque lenços umedecidos na saída de ar do ar condicionado ou embaixo do banco do motorista.
Para você que gosta de cheiro de limpeza, essa é uma ótima dica.

Não deixe alimentos dentro do carro

Por mais que seja difícil, esforce-se para lembrar de limpar ou não deixar alimentos dentro do carro.
Restos como farelos, bebidas derramadas é algo que com o tempo fede muito.
Comida estraga rápido dentro do carro, portanto, não se esqueça.

Velas aromatizadas

Elas podem deixar o seu carro bem cheiroso quando colocadas em baixo dos bancos da frente, e claro, elas devem estar apagadas.

8 hábitos que gastam o combustível da sua moto e como evitá-los

8 hábitos que você deve evitar para economizar combustível da moto:

1 – Pneu mal calibrado

Os pneus merecem atenção para você economizar. Quando um deles, ou os dois, estão murchos ou muito duros, o consumo aumenta. Isso porque a moto precisa trabalhar mais para compensar as mudanças na área de atrito do pneu com o solo.

A calibragem correta está no manual de instruções e deve ser seguida para tudo funcionar perfeitamente. Verifique a calibragem ao menos uma vez por semana para economizar combustível da moto e manter os pneus em ótimas condições.

2 – Aceleração incorreta

Acelerar a moto de forma incorreta também aumenta os gastos. Para fugir disso, mantenha uma velocidade constante sempre que possível, assim, utilizará menos o freio. Essa é uma das práticas que mais ajudam a economizar combustível da moto.

Quando der a partida ou retomar a velocidade, acelere progressivamente. O acelerador deve ser acionado com cuidado e jamais torça o cabo de uma vez. Agindo dessa forma, o combustível é melhor aproveitado. Por outro lado, acelerações bruscas consomem mais.

3 – Não respeitar as trocas de marcha

Fazer a troca de marcha no tempo incorreto aumenta e muito o consumo de combustível. Para economizar, observe com atenção o sinal para a troca e evite fazê-la antes do tempo. Nas motos que possuem conta-giros, uma faixa vermelha indica o giro máximo. O ideal é que você troque a marcha antes que a seta atinja essa faixa.

4 – Não utilizar o ponto morto

O ponto morto não ajudar a economizar combustível de moto. Quando enxergar uma lombada, ou um semáforo fechado, pare de acelerar até a moto perder a velocidade e não acione os freios. Com isso, o sistema interrompe o consumo de combustível. Nesse caso, você também está preservando as lonas e pastilhas dos freios.

Muito importante: Alguns motociclistas têm a mania de acelerar a moto quando estão parados no semáforo, por exemplo. Se você é um deles, evite isso, pois está gastando combustível à toa e pode estragá-la.

5 – Não limpar o filtro de ar

O filtro de ar é outro componente que precisa de atenção. Procure mantê-lo limpo, porque vai ajudar a economizar combustível da moto. Isso ocorre porque a energia é gerada com ajuda do ar, após a queima de combustível. Se estiver em más condições, o consumo aumenta para haver uma compensação.

6 – Aquecer o motor

Para que tem a moto sem a injeção direta, essa prática era fundamental para dar a partida. Agora se a sua motocicleta já conta com esse dispositivo, você não precisa mais aquecer o motor para sair com a moto, então, deixe esse hábito lá no passado e economize combustível.

7 – Não cuidar da manutenção das peças

Corrente, coroa e pinhão, ou a relação da moto, transformam o giro do motor em movimento da roda traseira. Todos esses componentes precisam de lubrificação e atenção contínua. A corrente muito esticada exige mais do motor. O resultado, você sabe: gasto de combustível.

Os rolamentos das rodas também merecem cuidados. Sem lubrificação, dificultam o movimento e aumentam o consumo.

8 – Levar muito peso

Sua moto tem um baú acoplado que é bastante utilizado nos finais de semana? Ótimo! Mas se, no dia a dia, ele fica vazio, o ideal é que retire esse e outros pesos a mais na moto. Com o veículo mais leve, consegue economizar combustível da moto, pois o motor fará menos força para andar.

Cuidados indispensáveis ao comprar peças automotivas online

O crescimento das compras online vem também beneficiando os consumidores de peças automotivas. Mas como qualquer outro ramo, alguns cuidados indispensáveis devem ser destacados. E é o que vamos fazer aqui, neste post especial do Blog do AutoZ. Confira só!

Como cuidar do seu veículo?

Depois de conduzir seu carro por um tempo, provavelmente ele precisará passar por algumas revisões; e, consequentemente, poderá necessitar da substituição ou manutenção de algumas peças. Se antes isso era um problema, hoje não é mais.

É que hoje você pode contar com o AutoZ, uma loja especializada em peças, pneus e vários outros acessórios para o seu carro. Como estamos há muito tempo no mercado, alguns cuidados você não precisa ter conosco, mas em geral, se for comprar outras coisas em outras lojas, preste atenção nos tópicos abaixo!

Antes de comprar peças automotivas online confirme:

  • Se a loja é confiável;
  • As características das peças;
  • Se não necessita da peça com urgência.

Quais são cuidados indispensáveis ao comprar peças automotivas online?

Certificação/Garantia

Sobre as certificações, elas são emitidas por algumas instituições regulamentadoras como o Centro de Experimentação e Segurança Viária (CESVI) e o Instituto de Qualidade Automotiva (IQA). Verifique se o que você precisa tem alguma dessas certificações. Ainda falando sobre as vantagens, ao comprar peças automotivas online, a garantia sobre o produto é um dos melhores benefícios. Fique atento e exija a garantia!

Procedência da peça

Quer ter certeza que a peça automotiva é legal? Segue então uma dica importante. A grande maioria das peças tem número de série e rastreador. Para conferir a procedência, valide o número de série do produto e faça uma inspeção visual, observando as características da embalagem e do próprio produto. Nunca aceite peças cuja embalagem foi violada.

Preços muito baixos

Aproveitar promoções é ótimo, mas sempre desconfie de lojas nas quais o desconto é muito, muito grande. Aposte em empresas que são confiáveis. Com o AutoZ, por exemplo, você pode ficar tranquilo.

Nota fiscal

Exija a sua. Essa é uma das garantias de qualquer empresa que trabalha corretamente.

AutoZ Peças

Temos grande estoque de peças e ferramentas, além de outros itens para seu automóvel. São peças de marcas conceituadas e referência no mercado como: BoschCofapCobreqValeoTecfilLukAxiosMannVDOKayaba. Aqui, você encontra kits de correia dentadabatentesbielasbarras axiaiscabos de velasamortecedores de cabinescorreiasbuzinasbobinas de igniçãobomba de combustívelfiltrospastilhas de freiopalhetas e muitos outros artigos com elevado padrão de qualidade.

Iluminação automotiva: Como escolher a lâmpada ideal

iluminação automotiva é um dos itens de maior importância de um carro. Sua função é oferecer maior noção de direção na estrada, agregando mais segurança para o sua condução.

Mas você sabe qual é a ideal para o seu veículo? Sabe qual a diferença entre as lâmpadas?

Confira o artigo que nós do AutoZ fizemos, explicando as diferenças entre elas e qual a melhor opção para cada veículo!

As luzes do carro incluem:

Faróis

Existem dois tipos de faróis: feixe baixo e feixe de alta. Estas luzes permitem que o motorista veja a estrada no escuro, enquanto também sinaliza aos outros motoristas que um carro está presente. As vigas baixas fornecem uma distribuição de luz para dar iluminação frontal e lateral adequada sem blindar outros usuários da estrada com brilho excessivo. Os feixes altos fornecem uma distribuição de luz intensa e ponderada no centro sem controle particular de brilho e só devem ser usados ​​quando não há carros visíveis à sua frente (indo ou vindo).

Luzes traseiras

As luzes traseiras são necessárias para produzir apenas luz vermelha na parte traseira do veículo de modo que estejam acesas sempre que os faróis estejam ligados, isso ajuda os motoristas que viajam atrás de você a reconhecer que você está lá e a sua distância.

Luzes diurnas

Estas luzes estão localizadas tanto na frente como na parte traseira do carro e geralmente ligam-se automaticamente. Embora em alguns carros você tenha uma opção para desligá-los, elas são projetadas para oferecer maior visibilidade para outros veículos.

Faróis de neblina

Localizados perto dos faróis, mais próximo do chão, sua função é melhorar a visualização do chão e não para uma longa distância, além de iluminar as laterais da pista através do reflexo. Estes devem ser utilizados durante a neblina quando os faróis normais não são eficazes.

Luzes de sinalização

Também conhecidos como sinais de mudança de direção ou “pisca-alerta”, estes estão localizados na parte frontal e traseira do carro. Quando ativados, eles indicam a outros motoristas que você em breve estará “dobrando” (na direção indicada do sinal) e, provavelmente, estará desacelerando para fazê-lo.

Luzes de freio

Localizados ao lado das luzes traseiras, eles sinalizam os motoristas que você está parando. Eles só são ativados quando você aplica o pé nos freios, no entanto, você precisa garantir que eles sejam devidamente mantidos e não queimem.

Lâmpadas de condução

Sua função é iluminar o interior do carro para que o passageiro ou motorista verifique com segurança mapas e direções, ou precise localizar itens e objetos. Não recomendamos o uso por longos períodos.

Como escolher a lâmpada ideal

Este guia te ajudará a escolher quais os faróis que melhor atende as suas necessidades. Falaremos a seguir sobre os tipos de faróis e as principais modalidades de lâmpadas disponíveis no mercado: halogênio, Xenon e LED.

Tipos de faróis

Todos os faróis têm a mesma função principal, que é iluminar a estrada na frente do veículo. No entanto, eles diferem em termos dos tipos específicos de lâmpadas que eles usam para fornecer luz.

As três lâmpadas principais que são usadas nos faróis são halogênio, Xenon e LED. Os faróis podem ser classificados de acordo com a tecnologia de iluminação específica que utilizam.

Farol de halogêneo

O halogênio refere-se a um membro de um certo grupo de cinco produtos químicos que são muito reativos e venenosos. Estes produtos químicos são classificados como não-metais.

As luzes do carro de halogêneo são usadas nos faróis, cada lâmpada possui um filamento de tungstênio fino e uma cápsula de filamento de vidro cheia de gás halógeno. O gás roteia o tungstênio para o filamento, de modo que regenera o filamento cada vez que o farol é ligado e usado.

Farol de xenônio (Xenon)

Xenon é um gás altamente não-reativo que é incolor e inodoro. Pode ser encontrado em pequenas quantidades na atmosfera e pode ser extraído do ar liquefeito para ser utilizado para fins comerciais. O xenônio é comumente usado nos faróis e é utilizado em algumas tecnologias de iluminação automotiva baseadas em filamentos.

Uma lâmpada de xenônio emite uma luz branca e limpa, também pode ser usada em iluminação HID (descarga de alta intensidade). Uma lâmpada HID não possui um filamento, em vez disso, ela usa um sistema selado com gás de xenônio que gera luz através de uma carga elétrica que inicia um arco entre dois eletrodos.

Vale lembrar que o uso do xênon não é permitido pelo Detran, a menos que o seu veiculo já venha com esse acessório de fábrica.

Farol LED

O acrônimo “LED” significa “Diodo emissor de luz”. É um diodo semicondutor que emite luz quando a tensão é aplicada a ele.

O LED é um display popular e tecnologia de iluminação que é usado em vários tipos de produtos elétricos e eletrônicos. O LED produz luz em menos de um hemisfério, isso significa que precisa ser resfriado pelas costas. Como resultado, um farol LED pode exigir um design diferente dos faróis de halogêneo e xenônio.

Um farol LED pode potencialmente vir em projetos diferentes porque o seu tamanho pequeno torna-o versátil.

6 boas dicas para escolher uma boa oficina mecânica!

Escolher oficina mecânica de qualidade? Muitas vezes, essa não é uma tarefa fácil. Afinal, é preciso encontrar um profissional que preste um bom serviço para que a solução de um problema não se transforme em um aborrecimento ainda maior.

Por essa razão, é importante que o proprietário do veículo adote determinados cuidados antes de deixar o seu carro nas mãos de um profissional desconhecido. Se você tem interesse pelo tema, vamos apresentar aqui algumas boas dicas de como escolher oficinas mecânicas. Não perca!

1. Faça uma pesquisa prévia

O primeiro passo é realizar uma pesquisa prévia para saber quais são as oficinas que existem em sua localidade, qual é a procedência de cada uma delas, entre outros fatores importantes. É possível, por exemplo, buscar por licenças de operação e pelo CNPJ da oficina mecânica, a fim de verificar se o estabelecimento não é clandestino.

Também é bom ficar de olho se o seu veículo necessita de um reparo muito específico. O mesmo cuidado é válido quando se trata de um modelo importado, pois, nesses casos, o mais recomendado é buscar por uma oficina que também seja especializada.

Mas não para por aí! É relevante fazer pesquisas de possíveis protestos sobre o local no Procon e em sites de reclamações e feedbacks. Até as redes sociais são fortes aliadas nessa tarefa. Lembre-se de verificar ainda os custos e as vantagens em mais de uma oficina antes de escolher em qual delas o serviço será realizado.

Questione sobre o prazo de garantia e outras informações que considerar relevantes para que seja possível comparar os estabelecimentos de forma mais detalhada.

2. Peça indicações

Antes de iniciar reparos ou revisões, é sempre bom tomar informações de mais de uma oficina antes de realizar o serviço, certo? Mas, além das pesquisas, outra coisa que ajuda bastante é a busca por indicações confiáveis.

É recomendado pedir indicações de amigos, parentes ou vizinhos que já conhecem uma oficina, que fizeram negócio com o estabelecimento e gostaram do serviço prestado. Nessa situação, com certeza, o local ganha uma credibilidade a mais.

Contudo, nos casos em que você não tem uma pessoa conhecida para ajudar em sua escolha, o recomendado é procurar por recomendações na web. Atualmente, todas as empresas estão presentes na internet, então, fica fácil descobrir sua procedência por meio de clientes e usuários.

Até mesmo os estabelecimentos que não contam com um site ou página oficial podem ser localizados na internet. Existem outras maneiras de encontrar depoimentos e reclamações sobre oficinas mecânicas tanto em redes sociais quanto em sites de pesquisas.

Apesar de parecer um procedimento trabalhoso e demorado, a realidade é que ele pode ajudar você a encontrar um bom serviço, com preço justo. Lembrando que os consumidores que optam por ir a qualquer local sem indicações podem enfrentar prejuízos, como valores acima do padrão e realização de serviços desnecessários.

3. Valorize o bom atendimento

Ao escolher oficinas e se deparar com um estabelecimento que presta um bom atendimento, valorize tal atitude. Isso porque é imprescindível que o cliente tenha acesso a informações referentes aos serviços prestados.

O bom atendimento é caracterizado, primeiramente, pela boa infraestrutura interna. Por essa razão, fatores como instalações adequadas para clientes e profissionais, canais de atendimento e prazos para a prestação dos serviços devem ser levados em consideração.

Observe ainda se a oficina é higienizada, com os serviços padronizados e se apresenta uma boa conservação. Isso, especialmente no que diz respeito à qualidade dos equipamentos e peças, pois é fundamental que estejam em bom estado para a correta utilização.

4. Solicite orçamentos

Antes de fechar com uma oficina mecânica para fazer o reparo do seu carro, é preciso solicitar um orçamento formal, que apresente todos os serviços que serão prestados. Aqui, inclusive, entram as peças que devem ser substituídas e o valor de cada item, bem como preços de mão de obra.

É válido ressaltar que, ao pedir um orçamento, é importante verificar se ele é sem compromisso. Assim, enquanto possível cliente, você não precisa se comprometer em aceitá-lo logo de cara. O ideal é solicitar orçamentos em diferentes oficinas para que seja possível compará-los.

5. Veja se as certificações e documentações estão em dia

Para não cair em uma cilada, é relevante verificar se a oficina apresenta os documentos necessários para prestar serviços. Um bom estabelecimento que é comprometido com a seriedade do trabalho e com a boa prestação do serviço deve ter toda sua documentação em dia, como o alvará de funcionamento da prefeitura.

As certificações também são uma garantia de que o cliente está escolhendo uma oficina mecânica confiável e qualificada. Dessa maneira, busque por estabelecimentos que apresentem, por exemplo, o certificado do Instituto da Qualidade Automotiva (IQA).

O IQA é uma certificação criada pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e validada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que funciona como um indicativo de qualidade.

Assim, vale procurar saber se o estabelecimento escolhido conta com o devido registro e se recebeu um certificado para operar com tranquilidade em determinado nicho automotivo. Veja também se o profissional que vai mexer em seu veículo tem a devida qualificação mecânica.

6. Observe os equipamentos utilizados antes de escolher oficina

Dependendo do serviço que precisa ser feito no veículo, existem determinados equipamentos que são imprescindíveis. Isso acontece muito em pintura e funilaria, por exemplo. Para saber essa informação, o recomendado é solicitar uma explicação dos métodos e processos envolvidos nos reparos e cuidados com o carro.

Com uma breve apresentação do mecânico, já é possível perceber se a oficina conta com equipamentos adequados, como soldas, cabine de pintura de pressão positiva (estufa), bancada de estiramento, entre outros.

Agora que você já conhece estas dicas de como escolher oficina mecânica, lembre-se de que optar pelo estabelecimento correto ajuda até a economizar com a manutenção do veículo. Quando boas peças são usadas e um serviço de qualidade é prestado, a tendência é que novos problemas não apareçam com frequência.

Precisa de ajuda?